29 de jun de 2013

O 1º livro sobre moda foi criado por um contador alemão



Ulinka Rublack pesquisadora de história na Universidade Cambridge na Inglaterra é uma das responsáveis pelo achado histórico que atualmente esta exposto em um pequeno museu na cidade alemã de Braunschweig.

Matthaeus Schwarz era o chefe de contabilidade dos banqueiros e mercadores Fugger, uma das mais importantes e ricas famílias da Alemanha do século 16.




Ele apesar de ser bem sucedido em  sua profissão tinha outra paixão, o cara era obcecado por roupas.
Ele escreveu e lançou o primeiro "livro de moda" de que se tem conhecimento até hoje.
Registrando em pinturas os trajes que ele mesmo vestiu ao longo de 4 décadas.

Matthäus Schwarz, para criar o livro começou a registrar sua imagem em 1520, quando encomendou 36 pinturas em aquarela com o objetivo de fazer uma retrospectiva de sua aparência desde a infância até os 23 anos. Daí em diante, continuou encomendando desenhos de si próprio vestindo diversas roupas, até os 63 anos. Ao todo, foram encomendadas 137 aquarelas.



Depois ele pediu que todas as folhas fossem encadernadas, criando o que ficou conhecido como "O Livro Schwarz de Roupas."





 


O contador alemão Schwarz tinha que ter certa precaução pra não ultrapassar certos limites, mas ainda assim, ele inovava, brincando com seu estilo e explorando novos cortes, cores, tecidos e detalhes.

Segundo a historiadora Ulinka Rublack, ele foi corajoso porque um homem  gostar tanto de moda como ele era ter um comportamento que não era visto com bons olhos. Naquele tempo, se vestir apropriadamente era algo que alemães ricos viam com seriedade, mas gostar de moda por si só era considerado uma maluquice.

Na época a sociedade ditava as normas e de certa maneira já  estipulava o tipo de roupas e jóias que uma pessoa podia usar ou não, tudom dependia de acordo com a posição social de cada um.

Um trabalhador não tinha permissão de se vestir de forma mais extravagante do que seus patrões e certos itens eram proibidos. No caso dele, o criador do livro Matthäus Schwarz, havia algo mais pra complicar a paixão do cara que era a moda, os seus empregadores não queriam parecer "excessivamente ricos" e tentavam, conscientemente, vestir roupas mais simples.

Maria Hayward, professora de história com especialização em roupas e tecidos da Universidade de Southampton, Inglaterra, disse que Schwarz sempre encontrava um caminho alternativo:

"Se calças colantes muito enfeitadas eram proibidas, por exemplo, ele optava por camisas com mangas mais trabalhadas".

E por trabalhar para mercadores importantes, tinha contatos e acesso à  diversos materiais.

Além disso, o contador empregava os mais talentosos artesãos. Naquele tempo, tudo era feito à mão, já que a máquina de costura ainda não tinha sido inventada.

Os custos eram altos. Schwarz não era rico mas ganhava bem e optou por investir grande parte de seu salário em roupas.








Ele nasceu em Augsburg em 1497.
Seu pai se chamva Ulrich Schwarz, um mercador de vinhos, que se casou 3 vezes
Schwarz tinha 37 irmãos.
Estudou contabilidade na Itália.
Se casou aos 41 anos e teve 3 filhos, morreu em 1574 aos 77 anos.


fonte

Nenhum comentário:

Pesquise