18 de ago. de 2020

Conheça a Internet dos Corpos

 



A internet das coisas era algo mais próximo que estamos começando a vivenciar assim como microchip RFID que pode ser implantado em uma das mãos e com ele podemos abrir portas, efetuar pagamentos e também pode ser usado como um modo de identificação. Algumas pessoas já aderiram essa tecnologia ao redor do mundo.


Mas agora o Forúm Econômico Mundial anuncia que avanços tecnológicos são necessários e assim deram início à "internet dos corpos" sigla (IoB), que são dispositivos e sensores que podem ser conectados ou implantados no corpo humano. 
A idéia surgiu para obter-se um melhor controle em questões de saúde diante da pandemia que estamos enfrentando. 



O documento traz soluções mais invasivas para o controle do Covid-19 e talvez futuras doenças que possamos vir enfrentar. 
Sendo elas:

* O monitoramento contínuo dos sinais vitais do corpo através de sensores que permitem profissionais de saúde rastrearem melhor a condição dos pacientes dentro e fora de instalações médicas, a partir de dados coletados como à pressão arterial, níveis de oxigênio, glicose, frequência cardíaca, sono e outros fatores relacionados à saúde.


* A tecnologia da Internet dos Corpos facilitará a expansão da saúde e uma melhoria na arquitetura da medicina tradicional.


* Os dados fornecidos pela tecnologia IoB permitirá que médicos identifiquem doenças precocemente e consigam oferecer medidas preventivas. 
Além disso, os dados das pessoas podem ajudar no avanço das pesquisas de medicina com maior precisão pela conexão ao estilo de vida individual e ambiental com dados genéticos e biológicos, fornecendo assim novas percepções sobre causas e tratamentos de doenças.



9 de jul. de 2020

Um desses eventos pode ser a próxima catastrofe?


Essa revista acima é conhecida por muitos e geralmente todas as capas trazem algo que está prestes a acontecer no mundo.
(Em outro post trago exemplos e os fatos)

Dessa vez a The Economist edição agora do mês de julho, decidiu colocar coisas bem intrigantes na capa e um título assustador sendo ele...
A próxima catastrofe
(e como sobreviver a ela)

Agora vou trazer minha análise sobre isso.

Bom... primeiro a gente vê uma familia e um gato sentados num sofá usando máscaras de gás, aquelas de alto nível de proteção. Até mesmo o gato está usando uma. Já o menino não usa máscara porém usa um capacete militar.
Na parede tem 7 quadros, 3 pássaros, um relógio, uma tomada sem nenhum eletrônico ligado à ela.

Agora vou tentar analisar os quadros começando pelo porco.



Acho que todo mundo se lembra da pandemia de gripe A ou gripe suína que o mundo enfrentou em 2009. E cerca de um mês atraz a China começou a enfrentar novos casos de contaminação da mesma em seres humanos.
A OMS ainda não alertou se a nova cepa do vírus pode se tornar outra pandemia de gripe suína chamada de G4 H1N1.

Outra hipótese é  2019 foi o ano do porco para os chineses e 2020
é o ano do rato no horóscopo deles, ambos animais são representados pelo elemento água. A transmissão do covid19 e a da gripe suína é causada por gotículas respiratórias e elas tem água em sua composição.


Depois temos um quadro onde um vulcão está em erupção e ao lado o quadro de um pinguim remando em alto mar e na imagem o sol radiante. 



Isso me faz lembrar sobre as mudanças climáticas e o derretimento das calotas polares.
Já em seguida ali na parede vemos algo atingindo o planeta Terra e parece fazer alusão à um cometa.



Aqui  um dos quadro é somente de patógenos.

O outro em em preto e branco, lembra bastante a bomba atômica ou de Hiroshima que foi detonada no final da segunda guerra mundial em agosto de 1945.

O ultimo quadro onde vemos meia esfera de fogo provavelmente indica o que muitos cientistas inclusive a Nasa tem trazido artigos sobre a possibilidade de erupções solares mais intensas.
Tais explosões são repentinas no sol. São causadas por mudanças no seu campo magnético. Essas explosões liberam altos níveis de radiação e se chegar a acontecer uma tempestade solar forte, muito do que temos estaria comprometido. A Terra teria um blackout.



O relógio na parede acredito eu que se refere ao Doomsday clock  que é o Relógio do apocalipse. 
Ele é simbólico, foi criado em 1947  e vem sendo atualizado conforme guerras e demais catastrofes ocorrem.
Quando criado os cientistas consideravam que faltavam 7 minutos pra meia-noite onde essa hora significa o fim do mundo. 
Agora em 2020 o relógio marca que estamos à 1 minuto e 40 segundos pra chegarmos à meia-noite.


Já os pássaros tem diferentes significados dependendo da cultura.
Podem representar a trindade conhecida na religião. 
Ou também liberdade, paz, amor, esperança.


O que pode vir acontecer não sabemos, mas sem dúvida os  quadros da capa da The Economist todos eles representam coisas que estão acontecendo hoje no mundo. 
Na minha opinião um desses eventos ilustrados pode acontecer ainda este ano, afinal um deles já está em curso.
Mas vale à pena lembrarmos que isso é só uma revista.
E vamos pensar positivo! 2020 tem sido um ano cheio de surpresas ruins mas hora ou outra as coisas irão melhorar, afinal tudo é passageiro.

7 de jul. de 2020

Game offline - Kingdom Rush Vengeance




Kingdom Rush Vengeance é um game até que bem conhecido e dá pra jogar offline.
O game consiste em defender uma torre consiste em 16 fases diferentes e um total de 35 bandidos. No jogo, o seu papel principal será montar as defesas e dar um fim aos seus inimigos pelo caminho. O jogo é extremamente desafiante e se você gosta de desafios é experimente!

Link da playstore clique AQUI

24 de set. de 2019

NASA vigia 5 asteróides que vão passar pela Terra


O CNEOS sigla que resume o instituto Centro de Estudos de Objetos Próximos à Terra vieram com a noticia que um dos asteróides o 523934 do grupo nomeado "Apollo" descoberto em 24 de março de 1998, pode colidir com a Terra e já está vindo na nossa direção.
Ele percorre o espaço numa velocidade de aproximadamente 80.000 km por hora e o seu tamanho é de aproximadamente 430 metros de diâmetro.

 Apesar da Nasa sempre dizer que a Terra não corre o risco de ser atingida por esse ou outro asteróide, a agência espacial decidiu monitorar aqueles que estão próximos da Terra. Porque além desse gigante, logo ainda passarão por nós os sequintes asteróides: o 2019 SW1 com 21 metros de diâmetro, o 2019 QY3 com 66 metros de diâmetro, o 2017 KP27 tendo 41 metros e o 2006 QV89 de 51 metros.

 Asteróides que orbitam o Sol como assim como planetas são muito menores comparados ao 523934 (1998 FF14). Mas se atingissem o planeta o estrago ainda seria grande podendo trazer tsunamis catastróficos.


fonte

Pesquise