7 de jan de 2010

Fernando Pessoa era esquizofrenico?



Nascido em Lisboa no dia 13 de junho de 1888 Fernando Pessoa perdeu o pai aos 5 anos de. Em 1896, a família se muda para a cidade de Durban, na África do Sul. Lá, Fernando estuda e cedo descobre seu talento para a literatura. Em 1903, ingressa na Universidade de letras. Mas ele logo abandona a faculdade e se arrisca como poeta.
Fernando Pessoa, educado em inglês, adquiriu o gosto pela poesia lendo Milton, Byron, Shelley, Edgar Allan Poe e outros poetas de língua inglesa.
A revista Orpheu, fundada em 1915 por Fernando Pessoa,não obteve sucesso e durante sua ele viveu em relativa obscuridade. Em vida, teve apenas dois livros publicados: alguns poemas em inglês e o livro: Mensagem.


Seria esquizofrenia? Psicografia? Uma grande piada? Um genial jogo de marketing poético?

Digo isso porque se voce ler os poemas de Fernando ele assina sempre dois nomes o dele e o de um personagem inventado, sim ele criava personalidades
e com essas personalidades escrevia diferentes poemas como se na verdade fosse outra pessoa, com uma história do passado, com novos hábitos e gostos, outros sonhos.... enfim outra pessoa mesmo por isso a pergunta:
esquizofrenia?
ou ele amava brincar com a mente humana?

Um dos personagens criados escreveu este poema:

Fernando Pessoa como Álvaro de Campos:

"Quanto mais eu sinta, quanto mais eu sinta como várias pessoas,
Quanto mais personalidades eu tiver,
Quanto mais intensamente, estridentemente as tiver,
Quanto mais simultaneamente sentir com todas elas,
Quanto mais unificadamente diverso, dispersadamente atento,
Estiver, sentir, viver, for,
Mais possuirei a existência total do universo,
Mais completo serei pelo espaço inteiro fora."

Outra personagem Alberto Caeiro que procurava afastar-se da reflexão sobre Deus.

“Pensar em Deus é desobedecer a Deus,
Porque Deus quis que o não conhecêssemos,
Por isso se nos não mostrou...”

Aqui do livro "mensagens" e ele assinou seu proprio nome sem personagem.

"O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.
E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm."


Aplausos pro cara excentricamente inteligente =D

6 comentários:

Marina Melow disse...

Toda pessoa muito inteligente é um poco pertubada!
Fernando Pessoa é o cara!
Eu adoro aquele texto..."Um dia a maioria de nós..."

beijos!

Renan Barreto disse...

Eu posso lhe garantir que para se escrever, você é obrigado a ter todas as personalidades do mundo. Você são vários. Quem escreve não fica limitado a um ser único, a um corpo sóbrio, o escritor vive de muitas pessoas, vive de seus muitos olhares e vozes. O Fernando Pessoa é um dos meus preferidos. Ele fazia poemas em português e em inglês com maestria. Um dia eu queria chegar a ser apenas um pouco do que ele foi um dia.

Bjo!

See ya!

Nany Morrison disse...

Sim, a "pessoa do Fernando" era um tanto enigmática, mas em alguns poemas acho q ele só queria brincar com a mente dos outros msmo. Fazer as pessoas pensarem no q estava lendo e pensar, "nossa, q louco isso!", como o que vc citou sobre Deus.
Bjs Fê saudade! Ah! Agora eu tenho twitter: http://twitter.com/rockis666

Rogério Godoy Princiotti Júnior disse...

Seja como for...
Fernando Pessoa é um gênio!
O único que me faz gostar de poesias..

Tudo vale a pena...

Srta.Lua disse...

Grande Fernando Pessoa! passei todo colegial lendo suas obras!
Esquizofrenia? que nada, ele só se permitia ser "todos ele" em um só!

bjs

ah! e parabéns por um ano do seu blog, e que venham muitos mais!

cesar disse...

Fernando Pessoa foi um gênio da literatura, não sei se ele era esquizofrenico mas sei que esquizofrenia costuma acontecer com gente muito inteligente. abração.

Pesquise