26 de jun de 2011

Stress: a perigosa doença silenciosa




Diversos pesquisadores tem analisado que "mudanças" seja lá elas em  qual sentido for, é um o maior motivo causador do stress.

Seja uma mudança positiva ou negativa.
Ela nos abala psicologicamente,  AS vezes à longo prazo onde tratamentos devem ser buscados, ou somente stress momentaneo que vem com aquelas coisas inesperadas que lhe causam desespero imediato e voce pensa ( putz agora do perdido, fudido etc...)



Certos eventos em nossas vidas são tão estressantes, que caracterizam a situação de trauma (lesão ou dano) psíquico.
Recentemente as ciências mentais reconheceram uma nova síndrome, batizada de Distúrbio de estresse pós-traumático, uma verdadeira doença, pertencente ao estudo da angústia.
Tal transtorno foi estudado depois da volta dos "viet-vets", ou seja os soldados sobreviventes da guerra do Vietnam.


Junto com o transtorno pós traumático ocorre quadros agudos de angústia que pode chegar ao estado grave e até invalidante. Quando a pessoa é exposta a situações similares causadora do stress, do trauma, vários sintomas ansiosos severos são desencadeados. De alguma forma passa reviver tudo, são os "flash backs", das situações traumatizantes.






O cientista que estudou pela primeira vez o estresse foi  Hans Selye descreveu uma resposta fisiológica generalizada ao estresse, caracterizada pela seguinte sequência:


---> A percepção de um perigo eminente ou de um evento traumático é realizado pela parte do cérebro denominado córtex; e interpretado por uma enorme rede de neurônios que abrange grandes partes do encéfalo, envolvendo, inclusive, os circuitos da memória;

---> Determinada a relevância do estímulo, o córtex aciona um circuito cerebral subcortical, localizado na parte do cérebro denominada sistema límbico, através das estruturas que controlam as emoções e as funções dos sistemas viscerais como: coração, vasos sanguíneos, sistema gastrointestinal etc.... através do chamado sistema nervoso autônomo.

---> A ativação dessas vias causam alterações como dilatação pupilar, palidez, batidas cardíacas aceleradas, rigidez muscular, dificuldade pra respirar, sudorese, paralisação do trânsito gastrointestinal, secreção da parte medular das glândulas adrenais (adrenalina e noradrenalina) e tais sintomas todos reunidos além de gerarem o stress constituem os sinais e sintomas do transtorno do panico.




Se o estresse persiste, é nesta fase que começam a aparecer as primeiras consequências mentais, emocionais e físicas dele, o tornando crônico. Perda de concentração mental, instabilidade emocional, irritabiliadade, depressão, palpitações cardíacas, suores frios, tonturas, cansaço, sonolencia ou insonia, dores musculares, dores de cabeça frequentes são os sinais evidentes, mas muitas pessoas não tem todos esses sintomas isso varia de cada uma para cada um. E a síndrome pode prosseguir até a sua fase final e mais perigosa.

A fase mais perigosa é a exaustão é quando o o organismo por si só, recapitula os efeitos do estresse, levando à instalação de doenças físicas ou psíquicas.

A pergunta que fica como nunca viver estressado???

A principal atitude ainda é um alerta ao modo de viver e de trabalhar com as emoções que a vida cotidiana nos proporciona.
E aí que mora a verdadeira e milenar sabedoria.
Quem consegue lidar com o stress realmente pode se julgar sábio!

Um comentário:

Flavio Ferrari disse...

A melhor arma contra o stress é a meditação.
A segunda melhor é o sexo com alguém que não seja estressante ...

Pesquise